Cérebro do Futuro: que habilidades novas você deve ter? (Continuação)

cerebro do futuro


Eu trouxe para você mais 4 habilidades, descritas em cérebro do futuro.


A sua profissão daqui para a frente será diferente.


Qualquer que seja ela, nós vamos precisar pensar com uma cabeça diferente.


Pode ser que você ainda não tenha percebido, mas você já está incorporando mais design e histórias em suas atividades, como eu falei no último vídeo e post.


Pois é, mas — segundo Daniel Pink —, em Cérebro do Futuro, há mais quatro habilidades que envolvem o “lado direito do cérebro”, cuja utilização irá determinar o seu nível de sucesso profissional e a realização pessoal daqui para frente.


3ª habilidade é a SINFONIA.


Pode parecer que estou falando que você terá que se dedicar à música, mas é um grande indicativo de sucesso.


Veja, nossa educação sempre privilegiou guardar formulas, métodos e fatos na memória. Mas repare o que é mais valorizado agora: é encontrar a harmonia entre diferentes áreas, diversos temas — às vezes, nem sequer relacionados.


Isto requer que você treine enxergar o todo, vislumbre interações entre diferentes elementos individuais e junte-os para criar algo melhor.


É exatamente como um compositor faz ao combinar notas musicais diferentes para criar uma harmoniosa melodia.

cérebro


É a aptidão para encadear e combinar ideias, que é a essência da criatividade.


Você pode começar a se posicionar com a habilidade sinfônica, procurando enxergar as situações por inteiro e não apenas as pequenas partes dentro da sua área ou do seu departamento. 


Comece a se interessar por compreender o contexto mais geral, além dos limites que deram a você. Esta característica é determinante para o seu sucesso cada vez maior e, acredita-se inclusive, que também pode tornar as pessoas mais felizes. 


4ª habilidade é a EMPATIA.


Você e eu não podemos negar o grande desenvolvimento da tecnologia, porém, existem algumas atividades que os computadores dificilmente conseguirão realizar. Uma delas é a capacidade de captar o mundo pelos olhos e sentimentos dos outros. 


A empatia é uma das competências mais importantes para que você influencie e tenha uma comunicação eficaz, assertiva.


A neurociência comprovou que você pode exercitar a empatia. Os cérebros são plásticos e se adaptam a qualquer estímulo ou nova situação.


Neste caso, o que você pode fazer é ir treinando maneiras de escutar atentamente, se colocando no lugar do outro. 


É assim que irá, de uma forma objetiva e racional, compreender os sentimentos e as emoções de outras pessoas.


Isso vai criando novas rotas neurais, ou seja, é possível fazer com que, a cada dia, a empatia seja um processo mais natural, e usar isso a seu favor na sua comunicação e nas suas negociações. 


5ª habilidade é a DIVERSÃO, O HUMOR.


Nem sempre temos o humor para nos divertir. Nem sempre adotamos leveza nas nossas relações. Mas este é um aspecto essencial que contagia as pessoas positivamente, melhorando as relações no ambiente profissional e familiar.


Voltando no tempo, na era da informação, havia a ideia de que os momentos de prazer deveriam estar dissociados do ambiente de trabalho. 


Mas não mais! Na era conceitual, que é a que vivemos cada vez mais intensamente, repare a infinidade de empresas que hoje investem em salas de jogos, ambientes para descanso e TV, e até permitem a presença de pets no ambiente de trabalho. 

O entretenimento leva ao bom humor, estabelecendo a alegria e o pertencimento.

Pessoas mais alegres desempenham as suas funções com mais engajamento e produtividade, explorando mais os seus potenciais, a fim de colaborar com a equipe e com a empresa. 


6ª habilidade é o SIGNIFICADO.


Se nossas necessidades físicas estão satisfeitas, é natural que tenhamos desejos e preocupações mais abstratas. Como falei no vídeo anterior sobre os hábitos, queremos nos alinhar com a nossa identidade.


Assim, estamos, você e eu, sempre atrás de encontrar um sentido para nossas vidas em tudo o que fazemos. 


E é neste momento que começamos a nos preocupar com algo maior do que nós, como o bem-estar coletivo, a sustentabilidade, e com o fim do sofrimento alheio. 


Assim, não há mais dúvidas de que a espiritualidade também é um caminho que você pode seguir.


Estudos mostram que estar em contato com esta parte de si mesmo (a) pode curar doenças, além de diminuir os riscos da depressão.
 

Há comprovações de que pessoas de todos os credos que frequentam regularmente cultos em templos, igrejas, sinagogas ou mesquitas vivem mais tempo do que as demais.


Não faz parte do livro Cérebro do Futuro, mas Sam Harris, o autor do livro “Despertar”, diz que este “diamante escondido” em nós, que é a espiritualidade, também pode ser encontrado fora das religiões. 


O importante mesmo é sempre desenvolver em si alguma forma de se expressar por um significado maior, como o doar-se a alguma causa e manifestações de cuidado. 


Bem, quero deixar alguma orientação a mais para você, veja: 


Daniel Pink sugere que você pode melhorar em muito como profissional carregando um caderninho para que, nos momentos livres e de reflexão, possa ir desenhando ou escrevendo pequenas melhorias na sua atividade.


Sugere também ler revistas da sua área para observar o que se está fazendo de inovação.


Pense em como solucionar problemas sob uma perspectiva diferente. Permita-se um olhar sob um ponto de vista diferente. 


Pratique o seu olhar observador. Valorize a cultura, o design, as obras de arte, abra novos horizontes para sua mente navegar.


Comece a se testar em relação ao quanto você realmente escuta os outros sem tentar logo responder. Mais uma vez, tenha uma perspectiva sobre as pessoas. Será mais empático (a).


Finalmente, a felicidade parece querer se revelar por um sentido na vida e este está intimamente ligado às nossas escolhas. Busque mais a alegria e pratique mais o bom humor, o riso.


Não se preocupe, pois sempre haverá tempo para você ir se colocando aos poucos naquele que é o seu melhor caminho, porque tudo pode ter um início em você, na medida em que você faz melhores escolhas. 


Quero que este vídeo gere algumas ideias para você começar a refletir sobre o que poderá incluir em sua nova vida profissional e até pessoal. 


Vá em frente!


Abraços!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

O que você procura?

Sobre João Francisco

O termo Impact Player nasceu do esporte, sendo associado a jogadores que fazem a diferença apenas por estarem em campo, capazes de elevar a confiança de um grupo com sua presença. 

Ou seja, um Impact Player é aquele que faz jogadas individuais incríveis, no entanto, seu principal valor está no papel estratégico que exerce sobre o seu ambiente, no momento em que sabe que o sucesso não é alcançado repentinamente.

Posts recentes

Posts populares

Podemos Ajudar?