Será que Aprendemos a Ser Otimista?

otimista

Você acredita que é possível aprender a ser otimista?

Escute essa pequena história:

otimista

Um casal estava prestes a se aposentar, quando foram checar suas economias e fundos de aposentadoria.

Eles estavam animados, pois haviam economizado bastante ao longo de suas carreiras e agora iriam desfrutar de todo aquele esforço.

Mas ao olharem o extrato de suas contas cada um teve uma reação diferente. A esposa sorriu e seus olhos brilharam de alegria. Já o marido, se encurvou e a tristeza era nítida em seu rosto. 

Será que ele percebeu algo que a esposa não vira? Já responderemos isso em breve… Por enquanto, saiba que neste post você aprenderá a ser uma pessoa mais otimista.

A história com a qual começamos revela muito bem a diferença de postura entre uma pessoa pessimista e uma pessoa otimista.

O marido e a esposa viram a mesma coisa, eles tinham um bom dinheiro em sua carteira de investimentos.

Porém, o homem não se conformava com o fato, que nos útlimos anos, havia perdido mais do que ganhado. Isso porque algumas ações do fundo se desvalorizaram. 

No entanto, na somatória dos 25 anos de seus investimentos, aquela perda era quase insignificante.

Já a esposa, com uma visão mais ampla e otimista, se felicitou pelo bom volume de rendimentos que eles haviam adquirido ao longo dos anos.

Trata-se de um belo exemplo de uma atitude pessimista e uma atitude otimista. 

Qual a vantagem de ser Otimista?

No livro “Aprenda a ser otimista: Como mudar sua mente e sua vida” o psicólogo norte americano Martin Seligman traz uma série de evidências científicas que demonstram os inúmeros benefícios dos quais você poderá desfrutar, ao se tornar uma pessoa otimista.

Essas pesquisas demonstram, entre outras coisas, as seguintes:

Otimistas, em geral, saem-se melhor nos estudos.

No trabalho e nas competições esportivas, também demonstram vantagens.

Com frequência excedem as expectativas dos testes de aptidão. 

Ao concorrerem a eleições, têm mais chances de serem eleitos 

Sua saúde é excepcionalmente boa. 

Envelhecem bem e são menos propensos aos males que acometem as pessoas de meia-idade. 

Ainda há indícios de que podem ter uma vida mais longa.

Tenho certeza que com essa pequena lista, você já está bastante curioso para saber se é uma pessoa otimista ou como se tornar uma.

Isso, na verdade, é muito bom, pois você já sabe que possui o direito de ficar bem!

Para isso, Martin Seligman traz alguns passos que você pode seguir com o intuito de se tornar mais otimista.

Em primeiro lugar, é necessário parar e fazer uma análise sobre si mesmo. Você precisa antes de tudo descobrir onde reside o seu pessimismo.

Tenha atenção, pois com isso, não estou diminuindo você. Aconteceu que as mesmas pesquisas de Seligman que descobriram aqueles benefícios dos quais falamos, também apontam que um grande número de pessoas possui pensamentos e crenças pessimistas, sem que o saibam.

Então, é preciso antes descobrir se você tem alguma dessas crenças e comportamentos, para então poder resolvê-los.

Assim, para essa pesquisa interna, você precisa observar como sua mente se comporta frente às adversidades.

Faça uma lista e registre o seguinte:

  • A adversidade
  • E a consequência

Vou te explicar melhor:

otimista

Digamos que você está em um estacionamento muito cheio e está de olho na vaga que está sendo liberada. Porém, antes que você possa entrar, outro motorista passa à sua frente e pega a vaga. Esse, é um exemplo de adversidade.

Agora vejamos o que você pensa sobre isso. Observe se você tende a pensar que o motorista que entrou na sua vaga agiu de má fé, ou se você pensa que deveria ter sido mais rápido. Ou, mesmo, se você pensa que o outro motorista estava melhor posicionado para ocupar o local. 

Assim, você encontrará que tipo de crença você tem em relação aquela situação.

Por último é hora de observar a consequência. Tratamos aqui da sua postura e sentimentos em relação a situação.

Ainda usando o mesmo exemplo, observe se você se sente cansado ou se a vontade de ir embora e desistir de estacionar o carro te domina. Talvez é possível que você seja levado a parar e pensar em uma outra solução. E ainda, em certos casos, se sentir animado e desafiado a encontrar enfim sua vaga.

Lembre-se de anotar cada um desses tópicos. Esse registro pode revelar coisas incríveis sobre sua personalidade, pontos que até mesmo você talvez não conheça.

Em seguida, com essas anotações, você poderá observar quais são as crenças que você possui e que te trazem uma visão pessimista. E como ela afeta seus sentimentos, suas emoções e também seu comportamento frente ao mundo.

Então, chegamos ao segundo passo. Uma vez identificadas as crenças pessimistas, é hora de remodelá-las. Ou, em outras palavras, confrontá-las e transformá-las em crenças otimistas.

Para isso, existem dois caminhos que se pode seguir:

A abstração

e a contestação

A primeira é forma, trata-se de simplesmente tentar se abstrair, quando perceber que está tendo uma das respostas pessimistas a uma adversidade.

Para isso, você só precisa tentar pensar em outra coisa, mudar a forma como está pensando. 

O segundo caminho, embora um pouco mais difícil, te trará melhores resultados a longo prazo. 

Isso porque, quando você conseguir contestar uma crença com êxito, será muito mais difícil sua reincidência, caso uma situação igual ou semelhante se repita.

Vamos elaborar um exemplo, ainda utilizando a adversidade do estacionamento lotado.

Uma crença pessimista seria a de que não se foi um motorista ágil, eficaz ou bom o suficiente. Algumas pessoas podem levar até mais longe, dizendo para si mesmas que são lerdas ou desatentas demais.

Enquanto a abstração seria tentar espantar essas crenças, a contestação deve confrontá-las.

Seria por exemplo, dizer para si que está se exagerando, e que não se é culpado por um motorista ter sido mais rápido ou estar melhor colocado para conseguir a vaga. E ainda, que trata-se apenas de uma eventualidade fora de seu controle e pela qual não se tem culpa alguma.

Enfim, o importante é que você consiga demonstrar a si mesmo o quanto aquela crença é enganosa.

Fico muito feliz que você tenha descoberto essa nova forma de lidar consigo mesmo. Agora é hora de colocar em prática.

Vá em frente e seja otimista!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O que você procura?

Sobre João Francisco

O termo Impact Player nasceu do esporte, sendo associado a jogadores que fazem a diferença apenas por estarem em campo, capazes de elevar a confiança de um grupo com sua presença. 

Ou seja, um Impact Player é aquele que faz jogadas individuais incríveis, no entanto, seu principal valor está no papel estratégico que exerce sobre o seu ambiente, no momento em que sabe que o sucesso não é alcançado repentinamente.

Posts recentes

Posts populares

Open chat
Podemos Ajudar?