5 Habilidades para encontrar a Felicidade

Olhe para seus colegas. Eles estão na mesma empresa, na mesma cidade, têm uma família, respiram o mesmo ar, têm chances de avançar na carreira e na vida pessoal, mas, por que alguns conseguem felicidade e sucesso, e outros não?

  O que é essa chama, tida como felicidade, que nos faz levantar de manhã no primeiro toque do despertador e, ao mesmo tempo – como diz Vinícius – é como pluma que o vento vai levando pelo ar? 

  Pois é, vamos falar agora sobre o livro ” Por trás da felicidade”, de Shawn Achor.

É um livro que comprei on-line, não o tenho aqui na biblioteca, mas sim no Kindle. Eu já havia feito um vídeo de outro livro desse autor que foi O jeito Harvard de ser feliz”.

  Eu mesmo já havia falado aqui do mito, que se trabalharmos duro ou se conseguirmos aquele emprego, ganharmos a próxima promoção, perdermos aqueles quilos a mais, como se déssemos o primeiro impulso numa porta de correr, a felicidade se abriria para nós.  No entanto, você já sabe que isto é como um falso oásis. 

  Imagine agora aquele amigo, parente ou colega que possui uma inteligência reconhecida por você, mas que sempre está olhando o lado negativo das coisas.   

 Achor, ex-professor de Harvard, defende que todos temos uma inteligência lógica, outra emocional e outra social, mas que ainda assim elas não são suficientes para garantir a felicidade e o sucesso às pessoas, e que a magia da felicidade tem mais a ver com a forma como enxergamos o mundo

 

É que você e eu não temos como olhar para tudo da mesma maneira: olhar para a cidade pela janela põe os seus olhos diante de uma imagem com 11 milhões de bits, mas você só dispõe de condições para perceber apenas 40 bits por segundo. 

  É como se seus olhos fossem uma lanterna tentando conhecer o mundo na escuridão. Assim, temos que escolher para onde apontar nossa luz pontual. Ou seja, não vemos tudo.  

  Portanto, ao olhar por uma janela, vemos o que escolhemos. Dessa forma, tudo se passa muito parecido quando tentamos compreender os nossos desafios diários.

Não dispomos de todas as informações possíveis, até porque tudo muda muito rápido.  

Acho que o autor não arriscaria tanto, portanto, sou eu quem está dizendo: para resolver um problema novo que se apresente a nós, nosso cérebro tenta sempre encontrar uma experiência anterior na memória, sem ter que gastar muita energia. 

  Isso vale para resoluções de situações novas: enfrentamento de adversidades em empresas, família, novos relacionamentos, etc. Tudo irá depender de sua experiência anterior, se foi positiva ou negativa.  

  Nestes casos, consultamos, dessa forma, as nossas crenças passadas e nossa expectativa é que resolvamos tudo com as mesmas práticas e julgamentos passados.  

  Aqui – pode ser pretensioso de minha parte – vou revelar as 5 habilidades que o pesquisador Achor recomenda desenvolver para que você comece a construir a tão desejada felicidade a partir de novas perspectivas: 

Vamos lá: 

Habilidade 1 – Arquitetura da realidade

  A primeira habilidade que Achor recomenda é reconhecer a existência de realidades alternativas para uma mesma situação em que você se depare. 

  O que ele quis dizer com isso?

  Que, o simples fato de mudar seu foco, permite a você enxergar versões diferentes para um mesmo cenário. É estar disposto a reaprender uma nova forma de encarar os seus desafios, seus problemas e as pessoas. 

  Por isso, desconfie de um ponto de vista súbito, impensado, de um pré-conceito e reconheça que existem realidades alternativas; ensine seu cérebro a ver a vida sob ângulos mais positivos.   

Habilidade 2 – Mapa mental

  A segunda habilidade é a importância de você criar novas rotas em seu mapa da realidade, a fim de rumar à felicidade e, consequentemente, ao sucesso. 

 

  Nosso cérebro tem um mapa mental impresso. Já temos quase tudo mapeado e são essas diagramações que orientam nossas ações sempre que tomamos uma decisão.  Contudo, o mundo gira, as realidades se transformam e, assim, enfrentamos desafios novos sempre que estabelecemos um compromisso, uma meta ou um objetivo, não importando qual realidade seja essa. 

  A saída é identificar novas e pequenas mini metas que o autor chama de marcadores de significado. Para ficar mais claro, imagine que você decidisse participar da próxima San Silvestre. Por ser uma maratona, pode ser que você ainda não esteja fisicamente preparado para correr 42 Km de uma vez. Assim, vamos estabelecer pequenos objetivos para, mais tarde, alcançarmos a nossa meta maior.

  Os marcadores são suas pequenas metas, pequenas bandeiras de chegada. São mini conquistas. Estas pequenas vitórias servem para que, durante a sua caminhada, você vá construindo o seu novo caminho dentro do mapa mental para chegar ao seu grande objetivo.

  Isso vale também para os avanços profissionais, um negócio novo, mais saúde, coisas que desejamos conquistar.   No entanto, como não há nada perfeito, você irá se deparar com hábitos antigos, que se transformaram em crenças limitantes e que tentarão te sabotar.  

  Portanto, identifique quais sabotadores são mais presentes em você. 

  O principal sabotador é o Crítico que temos dentro de nós. Este é o que te leva a encontrar defeitos em si mesmo (a), às vezes, nos outros e nas circunstâncias, o que provoca ansiedade, estresse e culpa. Muitas vezes também faz com que você desista dos seus objetivos. 

  Então, atente para os sabotadores que são vários. Fique muito ligado! 

Habilidade 3 – Ponto X 

  A próxima pergunta deve ser: como você pode construir realidades que o ajudem a atingir esses objetivos e a acelerar o sucesso?

  Achor diz que devemos usar aceleradores que ele chamou de Ponto x. Os pontos x são marcos que ajudam o cérebro a acreditar que o sucesso está próximo e que ele vale a pena.

  Por exemplo: em seu trabalho, estabeleça mini metas que você possa atingir diariamente. Isso fará com que o seu cérebro libere substâncias que melhoram sua produtividade e aceleram seu progresso.

  Para tarefas particularmente difíceis, longas ou tediosas, concentre-se no “progresso realizado até o momento” e não “no que ainda falta fazer”.

  Em suas pesquisas, Shawn Achor percebeu que sempre que estamos com 70% do caminho cumprido para atingir a nossa meta, o cérebro recebe uma propulsão de energia, que é um acelerador de sucesso.  

  Ele também recomenda que você dê a si mesmo uma vantagem inicial. 

  Para entender o que ele quis dizer, acompanhe esse exemplo: se a sua resolução de ano-novo for levantar R$ 1.000,00 para uma instituição de caridade, não comece com o indicador de arrecadação no zero. É melhor começar com a doação de algum dinheiro que você tenha guardado para sentir que você já avançou. Mesmo que seja pouco, você terá a sensação de ter avançado parte do caminho em direção a sua meta.

  Agora você já sabe que nosso cérebro gosta de saber a que distância estamos de nosso alvo, qual a probabilidade de atingi-lo e quanto mais próximo, mais ele acelera para chegar lá. 

  Utilize esta habilidade do seu cérebro a seu favor. 

Vamos em frente!

Habilidade 4 – As distrações

  

Imagine que você tenha uma pequena meta no seu dia e a intenção de atingir o seu grande objetivo, mas, logo que chega no trabalho com esse plano imaginário, passa a responder e-mails, a olhar o seu WhatsApp, a perder tempo em conversas improdutivas e, quando vê, já não é mais possível cumprir o que havia planejado. 

  Isso, o autor chama de ruídos. O ruído é qualquer informação que seja desnecessária, negativa, falsa e que nos impede de enxergar a realidade que havíamos traçado para nós. 

  Então, aprenda a neutralizar qualquer ruído e identifique sinais, que são informações valiosas, que o alertem para oportunidades, possibilidades e recursos que o ajudem a atingir o seu máximo potencial.

  Isso também contribui para a criação de um círculo virtuoso e um clima positivo ao seu redor.  

Habilidade 5 – Inserção Positiva

   Agora é a hora de você utilizar aquilo que chamamos de Inteligência Social. 

  Depois de criar uma realidade positiva, transfira esse magnetismo para os outros e colha os benefícios exponenciais da Inteligência coletiva. 

  Dissemine esse clima, criando outras unidades com esses padrões de hábitos positivos.

  Compartilhe e semeie nos outros a noção de significado no que eles fazem. 

  Por que alguns conseguem felicidade e sucesso, e outros não?

 Caso domine essas cinco habilidades pessoais, você terá mais energia, motivação, determinação e criatividade para se impulsionar ao seu grande objetivo. 

Vá em Frente!

JF

PS. Se você quiser ter uma biblioteca inteira na sua mão recomendo Kindle Paperwhite, super leve e a prova d’água!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O que você procura?

Sobre João Francisco

O termo Impact Player nasceu do esporte, sendo associado a jogadores que fazem a diferença apenas por estarem em campo, capazes de elevar a confiança de um grupo com sua presença. 

Ou seja, um Impact Player é aquele que faz jogadas individuais incríveis, no entanto, seu principal valor está no papel estratégico que exerce sobre o seu ambiente, no momento em que sabe que o sucesso não é alcançado repentinamente.

Posts recentes

Posts populares

Open chat
Podemos Ajudar?