Skip to content

COMO ORGANIZAR SUA VIDA FINANCEIRA

Não sei se acontece com você, mas, comigo, isso já aconteceu muito: nós trabalhamos, recebemos o salário, pagamos as contas e, no final do mês, não sobra nada. 

Ou pior, às vezes, acabamos fechando no vermelho… 

Pois é, uma pesquisa do Serviço de Proteção ao Crédito de 2019 comprova que a maioria dos brasileiros vive no limite do orçamento e que somente 1 em cada 10 pessoas está preparada para lidar com imprevistos financeiros.

Neste post, vamos falar sobre esse tema, e espero poder ajudar você a organizar sua vida financeira de uma forma mais eficiente. 

No livro “Como Organizar Sua Vida Financeira“, o autor Rubie Giordani relata que o primeiro passo é fazer um diagnóstico detalhado das suas finanças para identificar onde e como seu dinheiro está sendo gasto. 

 Fazemos tudo isso por meio de uma operação matemática: do total de seus ganhos é subtraído o total de suas despesas. A diferença é o saldo restante, ou seja, o valor que deve sobrar para você [pode-se esquematizar a].

 Para que você possa realizar essa conta, é importante fazer uma lista detalhada de todos os seus gastos, todos mesmo! 

Hoje, existem ótimos aplicativos de orçamento doméstico gratuitos, mas você pode fazer isso em uma planilha no computador ou mesmo lançar mão do velho e bom caderno de anotações.

Vamos começar pelas despesas fixas, aquelas que invariavelmente você tem que pagar todo mês: contas de luz, água, telefone, aluguel, seguro do carro, etc. Não se esqueça das despesas de início de ano, como IPVA, IPTU, matrícula e material escolar: se não tiverem sido previstas no orçamento, podem ter impacto negativo no orçamento familiar. 

Agora é hora das despesas variáveis, que podem ou não existir, ou podem variar bastante com relação ao valor. Tente imaginar quais são e coloque um custo aproximado para o gasto com combustível, supermercado, farmácia, alimentação fora de casa, entretenimento.

Somadas as despesas fixas e variáveis, vamos subtrair esse total do valor dos seus ganhos. Pronto. 

O saldo final é positivo ou negativo? 

Uma gestão financeira eficiente é aquela que faz essa conta dar SEMPRE positivo. 

Além disso, vou te dizer mais uma coisa: o ideal é que esse positivo seja no mínimo de 10% do valor da sua renda todos os meses, para que essa quantia seja aplicada em algum investimento, como uma poupança ou renda fixa. 

O ideal é que você já separe essa quantia antes, logo que receber os vencimentos. 

Deixe ela lá reservada para uma emergência ou para alguma coisa realmente importante.

Bom… para você que respondeu que o saldo final da nossa conta deu negativo ou menos de 10% do valor da renda mensal, então, aqui vão algumas dicas que podem te ajudar a reestruturar sua vida financeira

No entanto, vamos lá: em primeiro lugar, precisamos determinar objetivos de curto, médio e longo prazo. 

Por exemplo: se você tem uma dívida para pagar, esse pode ser um objetivo de curto prazo. 

Você quer economizar para abrir o seu próprio negócio? Isso vai demandar um pouco mais de tempo e de recursos. 

Nesse planejamento, é importante que todos participem: a família inteira deve estar envolvida e comprometida para que o orçamento funcione.

Estabelecidos os objetivos, é hora de repensar os gastos com relação às prioridades e necessidades:

  1. Reavalie se alguma despesa pode ser reduzida ou até mesmo cortada, ao menos temporariamente, como aquele cinema no final de semana ou o happy hour com os amigos.
  2. Antes de fazer uma compra ou fechar um negócio, questione-se sobre a necessidade daquele produto ou serviço, ou seja, se ele realmente vai ser útil e se você poderá arcar com aquela despesa.
  3. Pesquise os preços. Eles variam muito de uma loja para outra ou da loja física para a da internet: você pode encontrar boas ofertas on-line.
  4. Considere comprar à vista: geralmente o valor à vista tem um preço melhor, e você não fica preso em mais uma dívida.
  5. Sempre vale pedir um desconto, negociar o valor: não se envergonhe disso. Lembre-se de que o que está em jogo é o seu bem-estar financeiro.
  6. Evite usar o cartão de crédito se não vai ter dinheiro para pagar a fatura toda. As taxas de juros sobre dívidas no cartão são as maiores do mercado e viram uma bola de neve. 

Por fim, mesmo depois de fazer tudo isso, talvez você me diga: João, meu saldo ainda é negativo, ou não sobra quase nada para investir. 

Bom… então o que você precisa fazer é buscar uma alternativa para aumentar os seus ganhos. 

De novo, envolva a família toda nesse projeto e avalie a possibilidade de revender mercadorias como joias, perfumes e cosméticos; ou se também é viável investir na produção e venda de alimentos como salgados, bolos e doces. 

Se você entende um pouco do mundo digital, outra opção é participar de programas de afiliados, em que você ganha uma comissão de uma empresa parceira toda vez que alguém finaliza uma compra anunciada pelas suas redes sociais.

Enfim, há muitas maneiras de reorganizar a vida financeira. 

O importante é que ela não seja uma fonte de preocupação, e sim de tranquilidade para você. 

Vá em frente!

5 Comments

  1. Excelente artigo Jõao Francisco, realmente os itens que citaste são fundamentais para se ter uma vida financeira mais equilibrada e tranquila. Obrigado, grande abraço!

    • Que bom que você gostou Paulo. Cada comentário aqui no blog, YouTube, nos cursos foi fundamental em nossa jornada evolutiva. Acredito muito no poder da cocriação, os artigos são resultados das sugestões recebidas pelos canais dos comentários. Obrigado, e abraços!

  2. Obrigada gratidão sempre João Francisco

    • Olá Nilva, obrigado pelo seu comentário. Estamos aqui, eu minha equipe, sempre buscando autores que agreguem valor a nossos seguidores. Vá em frente!

  3. GRATIDÃO GRATIDÃO GRATIDÃO


Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Open chat
Podemos Ajudar?