Mentalidade de sucesso

“Mais esperto que o diabo”, livro de Napoleon Hill, revela que a nossa mentalidade tem influência direta no sucesso de nossos sonhos.

  Esse autor descreve que existem dois tipos de pessoas: as lideradas pelo medo e aquelas lideradas pela fé (fé no sentido amplo), e que ser liderado pelo medo é o caminho mais rápido para o fracasso. 

Se você tem algum sonho e sentiu receio de segui-lo, então infelizmente você faz parte do grupo de mais de 97% de pessoas no mundo que desistem de seus sonhos por medo.

Pois é, isso é resultado das limitantes crenças culturais da nossa sociedade. O medo de fracassar é, ocasionalmente, tão grande que nos impede, muitas vezes, de sequer tentar. Dessa forma, nos cobrimos de pensamentos negativos e acabamos abandonando nossos projetos antes mesmo de começá-los.

Deixar que esse sentimento diga tudo o que você deve fazer na sua vida é ser liderado pelo medo de fracassar, certo?

Então, eu te pergunto: o que há de errado em fracassar?

O fracasso é algo completamente normal na vida de qualquer pessoa, porém, existe uma voz no fundo de nossa mente que diz que fracassar é a pior coisa do mundo.

Sendo assim, pense diferente! Pense que o fracasso é uma forma de aprendizado. Imagine que uma criança somente aprende com os seus erros. Só evolui, anda, fala, aprende a ler, a escrever e tem sucesso, porque ela supera todos esses medos.

O autor de “Mais esperto que o diabo” diz que o medo leva ao fracasso, que, por sua vez, leva à alienação, que se torna latente. Hill chama esse ciclo de lei do ritmo hipnótico, uma lei que, por meio de repetição, torna continua qualquer ação, tornando essa ação permanente.

Você pode imaginar que o nome do livro sugira um conteúdo religioso, no entanto, não. Considere o “Diabo” como sendo uma figura literal, uma força invisível ou, simplesmente, uma série de pensamentos negativos enraizados em nossa mente.

Para não ser alienado e tomar conta da própria vida, o autor nos ensina 7 princípios:

  1. Tenha um Propósito − no vídeo “Os 7 Hábitos das pessoas altamente eficazes”, o 2º hábito explora a ideia de que você deva definir a sua missão de vida. Lembre-se: só reconhecemos uma vitória se tivermos claro em nosso mindset (“modelo mental”, maneira como alguém pensa) para onde estamos indo. 
  2. Domínio sobre si mesmo: recomendo a leitura do post (aqui no link) para que você descubra como desconstruir hábitos danosos e criar novos.
  3. Aprenda com dificuldades − como já falei, falhar é uma oportunidade de aprender, por isso, não deixe que os pequenos fracassos te façam desistir do seu caminho.
  4. Controle suas companhias  escolha bem seus amigos. Não esqueça que você é a média das pessoas com quem mais convive.
  5. Gerencie bem o tempo −  tenha consistência em suas ações, mantenha o ritmo e persista.
  6. Busque Harmonia −  equilíbrio entre Físico, Mental e Espiritual.
  7. Seja precavido − Tenha paciência, conte até 10 antes de agir.

Neste post, irei detalhar 3 dos 7 princípios que Hill ensina em seu livro:

Pare de ceder aos seus medos e às suas dúvidas.

Hábitos e disciplina são armas poderosas para você vencer seus medos e dúvidas, alcançando assim os seus sonhos para que seja capaz de tomar as rédeas da sua vida.

Ainda mais: se cultivar pensamentos positivos e ignorar os negativos, você começará a ter mais compreensão das suas atitudes. Não dê ouvidos aos pensamentos que dizem que você irá falhar.

Provavelmente falhará sim algumas vezes ao longo do caminho, mas eu lhe pergunto: o que há de errado nisso? A falha é um processo normal quando estamos rumo ao sucesso.

Se Thomas Edison, o inventor da lâmpada elétrica, tivesse parado de desejar conhecer o segredo pelo qual a energia elétrica fazia as lâmpadas acenderem, a humanidade não seria a mesma.

Ele fez nada menos de 700 experimentos infrutíferos durante longos anos e, certo dia, um dos seus auxiliares, desanimado com tantos fracassos, sugeriu a Edison que desistisse de futuras tentativas, porque, depois de 700, não havia avançado um só passo. Eis o que o inventor respondeu:

“O quê? Não avançamos um só passo? Avançamos 700 passos rumo ao êxito final! Sabemos de 700 coisas que não deram certo! Estamos para além de 700 ilusões que mantínhamos anos atrás e que hoje não nos iludem mais, e a isso você chama perda de tempo? ”.

Edison estava habituado a pensar positivamente. Este é segredo dos seus estupendos triunfos.

Cerque-se de pessoas positivas

  Muitas vezes, imaginamos que se concentrar principalmente em dieta e exercícios físicos são as melhores alternativas para nossa saúde. A ciência sugere que não só, mas, nosso bem-estar também é influenciado pelas pessoas que nos cercam.

Pesquisadores descobriram que alguns comportamentos de saúde parecem ser contagiosos e que nossos círculos sociais – pessoalmente e on-line – podem influenciar na obesidade, na ansiedade e até em nossa felicidade.

Portanto, das estratégias para se conseguir mudar de mentalidade, uma delas é se rodear de pessoas positivas. Se o seu grupo de amigos e colegas têm um pensamento tóxico, negativista e que só te faz mal, está na hora de procurar novas companhias.

Da mesma forma, você pode ajudar as pessoas mais próximas nessa tentativa de mudar essa mentalidade também. Nada melhor do que ficar em um grupo de pessoas positivas que, ao invés de sempre julgarem uns aos outros, se apoiam. Apoiar o sonho de alguém pode fazer total diferença na vida de uma pessoa. 

Organizações com alto nível de confiança prosperam mais que as outras

Paul Zak

É dessa forma que você estimulará o seu cérebro a produzir a química da empatia e ao mesmo tempo estará ajudando o outro também a ter um gesto, uma palavra positiva.

Substitua maus hábitos por bons hábitos

 Hábito é o grande guia da vida humana

David Hume

Você talvez esteja se perguntando: como é possível melhorarmos nossas vidas mudando os nossos hábitos?  Bem, hoje nós sabemos mais sobre a mecânica dos hábitos e estamos cientes de que podemos desenvolvê-los em nosso proveito pessoal e profissional.

Charles Duhigg — autor do best-seller “O Poder do Hábito” — nos avisa que, quando entendemos como funcionam as rotinas automáticas (ou seja, dos hábitos), fica bem mais fácil construir ou modificar comportamentos repetitivos.

  Duhigg defende um padrão de hábito simples que se baseia na seguinte estrutura:

DEIXA > ROTINA > RECOMPENSA

Assim, é possível substituir, de forma consciente, pontos nas etapas fundamentais dessa sequência.

  Quanto mais positiva for essa experiência, maior será a probabilidade de você repeti-la. Vamos buscar na ciência o porquê de isso ocorrer?

Nosso cérebro gosta muito de recompensas rápidas, que são poderosas porque satisfazem desejos.

Por exemplo: ao final de uma caminhada, ao tomar um banho (recompensa), você se percebe com mais energia, melhor humor e mais relaxado(a) para enfrentar o seu dia. Esse é o tipo de recompensa que seu cérebro gosta.

Ao estudar, avaliar e buscar respostas a respeito dos hábitos, a ciência permitiu que ganhássemos poder sobre nossos próprios comportamentos

Dessa forma, temos que utilizar agora todo esse conhecimento a nosso favor, desenvolvendo competências e habilidades que podem nos diferenciar na carreira e nos tornar pessoas melhores no convívio social.

Se o seu ciclo de amizades possuir hábitos saudáveis, ficará muito mais fácil substituir seus hábitos negativos por positivos.

As dificuldades e os desafios são elementos integrantes da estrada para o sucesso. Adversidade é uma coisa boa, uma vez que permite que você forme novos hábitos que sejam capazes de quebrar o “ritmo hipnótico” e trazer positividade para a sua trajetória de vida.

Vá em frente!

8 respostas

  1. Muito bom o conteúdo. Sempre surpreendendo na qualidade tanto nos vídeos como no material escrito do blog. Uma sugestão, é claro se permitida, é revisar a ortagrafia no que se refere a elementos de ligação das frases, pois, em alguns trechos do artigo a falta desses elementos ou o emprego errado torna a leitura um pouco cansativa. Abraços!!

    1. Olá Lucas, Obrigado pelo elogio. E obrigado também pela sugestão, concordo com você. Vou encaminhar a equipe que faz as postagens.
      Vá em frente!

    1. Marcus, obrigado pelo seu comentário. Fico feliz de que através desse post eu possa ter motivado você a não desistir de seu projeto. Valorize sua trajetória. Olhe para trás e veja o que você já conquistou. Vá em frente!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O que você procura?

Sobre João Francisco

O termo Impact Player nasceu do esporte, sendo associado a jogadores que fazem a diferença apenas por estarem em campo, capazes de elevar a confiança de um grupo com sua presença. 

Ou seja, um Impact Player é aquele que faz jogadas individuais incríveis, no entanto, seu principal valor está no papel estratégico que exerce sobre o seu ambiente, no momento em que sabe que o sucesso não é alcançado repentinamente.

Posts recentes

Posts populares

Open chat
Podemos Ajudar?