A lógica do cisne negro: expanda mais seu grande círculo

Imagine um grande círculo. 

Dentro dele está uma imensidão de coisas com o que você lida no dia a dia. 

E você está também consciente de que tem a plena liberdade de poder caminhar pelas ruas, ir ao shopping, sair para o trabalho ou para a Universidade.  

Isso é o que tem acontecido há muitos anos com você. 

Porém, vamos voltar ao grande círculo e agora eu o dividi em quatro dimensões.

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é YYPfoQvUmIpE7Xl8yiThGeIg1QcDbETbobavz3sntGIznvSDnteH1ZQnjknXOsfj8x0KAcdPHIeC39kVhfNnSFn4fzw0SQwbS0rP6S9kyJNOKG9XXakvUCSlhnjnNg

Dentro do círculo está contido:

  1. tudo o que você desconhece e sabe que desconhece. Exemplo: astronomia, psicologia;
  2. tudo o que você conhece e sabe que conhece. Exemplo: a sua profissão.
  3. tudo o que conhece e não sabe que conhece. Exemplo: acha que não sabe algo e se surpreende quando faz.

Mas eu tenho uma pergunta rápida para você:

Você sabe o que está fora do círculo?

Talvez você não tenha notado que o que está fora é onde mora o perigo, que é:

4. tudo aquilo que você não sabe que desconhece.

Quer um exemplo?

Até 6 meses atrás você não imaginaria que morcegos pudessem contaminar um homem com o novo coronavírus.

E foi exatamente esse fenômeno imprevisível, que reside neste quarto quadrante da figura, que teve o poder de mudar o mundo para sempre.

Porque foi capaz de fechar shoppings, cerrar as portas das empresas e das escolas e que impôs a você uma quarentena. 

Mas em hipótese, vamos imaginar que, há meses atrás, você tivesse tido uma premonição.

Algo como uma espécie de visão em que um morcego infectaria um primeiro homem com um vírus altamente contagioso.

E que, como se diz aqui na internet, este “viralizaria” pelos quatro cantos do planeta. 

Tentando salvar todo mundo

Você poderia gritar, antecipar para a grande mídia essa grande tragédia, mas é muito improvável que alguém desse ouvidos a você.

E você sabe o porquê?

É que os eventos chamados de pontos fora da curva, que impactam sobre a sociedade, são impossíveis de se prever.

Assim como também ninguém sequer imaginou:

  • o Tsunami;
  • o 11 de setembro;
  • e que a ascensão vertiginosa do Google, magicamente, traria todas as informações do mundo para dentro de nossa casa, na ponta dos seus dedos. 

E são estes eventos raros, de grande magnitude, que o autor Nassim Taleb chamou de Cisnes Negros, no livro “A lógica do Cisnes Negros“. 

 E você deve estar imaginando: de onde teria saído o nome?

É que até ser descoberto na Austrália, tida como a terra natal de todos os bichos esquisitos, acreditava-se que todos os cisnes eram brancos.  

E como nossos cérebros gostam de viver comportados, recolhidos a  suas crenças, nunca imaginamos que – algum dia – pudesse aparecer um Cisne Negro.

Porém isso nos choca muito porque a lógica do Cisne Negro defende que o que não sabemos é mais importante do que o que sabemos.

E agora você já sabe também que por esta razão, tantos planejamentos dão errado.

É que quando sentamos para planejar onde você vai buscar dados, informações?

E a resposta é: no passado.

Julgamos os fatos acontecidos e imaginamos que o futuro os repetirá em nossas previsões, com algumas pequenas mudanças.

Mas o passado nunca será uma boa ferramenta para prever o imponderável.

Portanto, não levamos em conta que cisnes negros poderão abalar profundamente nossos planos.  

E eventos aleatórios surpreendentes sempre irão se suceder a partir de uma infinidade de variáveis.

Uma nova parada para reflexão

Estamos falando basicamente de 2 coisas até aqui:

1- uma delas é uma porta definitivamente fechada que é a incapacidade de nosso cérebro de  prever o futuro;

2- é a de que sempre existirão fenômenos imprevisíveis de baixa probabilidade mas de altíssimos impactos sobre nosso mundo. 

Estes eventos nos chocarão, trarão sofrimentos, mas também produzirão avanços culturais, sociais e científicos. 

Agora eu quero pedir licença ao autor para fugir dos efeitos globais e fazer um zoom nesse conceito sobre o seu dia a dia, de modo que traga algo de valor para você. 

Vamos lá: 

O fato de não termos como prever sequer quando teremos a próxima gripe, nem tampouco o que será da bolsa de valores amanhã, não significa que podemos chamar esses efeitos de cisnes negros. 

São pequenos demais para classificarmos todo a aquele quarto quadrante fora do nosso grande círculo, como cisnes negros.

Não há dúvidas de que eles impactam profundamente em sua vida, mas não no mundo global.  

Mas não menos importantes para nós, vamos denominá-los do nosso jeito e tirar proveito do que temos.

Estes “solavancos” imprevisíveis ao surpreenderem você afetam particularmente o seu cotidiano.

E agora o que você quer saber é:  o que fazer para superar os efeitos destes mini-cisnes negros?

Me questionará ainda mais, afirmando:

se você está dizendo que não somos bons em antever o futuro, como aprender a tirar proveito de realidades tão complexas? 

Dois mundos

Bem, antes de tudo, pense em qual dessas 2 realidades você está: 

Há um mundo em que a maioria das pessoas prefere viver. É o mundo das coisas mais previsíveis.

Pessoas com este tipo de crença amam esta realidade e odeiam instabilidades.  

Embora possa haver discrepâncias, suas decisões se distribuem em torno de uma curva normal ou também chamada curva de sino.

Curva normal de sino

Ao contrário, há outro mundo bem diferente.

Uma minoria de pessoas prefere viver experimentando outro tipo de realidade, onde reina o imprevisível, o diferente, muito além da média das pessoas. 

Veja, ninguém cria riqueza vivendo naquele primeiro mundo.

Por que?

Pegue, ao acaso, mil pessoas assalariadas com graus variados de riqueza e tire a média. Existe um equilíbrio aí, certo?

Agora insira empresários, empreendedores na amostra. Verá que certas pessoas distorcem violentamente a média.

Isso porque -nesses casos – eles não estão expostos a uma remuneração compatível com um padrão profissional normal.

Não há limites para eles.

Portanto, por fugir totalmente da regra, aqui já não vale mais a curva de distribuição normal. 

Percebeu? 

Agora você deve estar imaginando em quais dos 2 mundos você está ou qual tem mais predominância em você. 

E quer saber também:  

Em que estes conceitos podem efetivamente me ajudar na prática?

Vamos lá. 

Veja, já falamos que se você for um profissional assalariado, você está no mundo das médias e saltos fora da curva são muito mais difíceis de ocorrer. 

Mas você pode começar também a abraçar um misto das duas realidades anteriores. Nem tanto ao céu e nem tanto a terra!

Vamos ver como?

Eu vou elencar para você 3 possibilidades:

1- Arriscando um pouco mais

via GIPHY

Na prática você irá começar a aceitar algum nível de incerteza. Falo de assumir riscos menores, calculados, mas que possam colocar você com um pé no “jogo das probabilidades”.

Ajude a sua sorte. 

A sorte é totalmente obra do acaso mas se você não se posicionar no páreo, do que quer conquistar, a sorte não tem condições de acontecer.

Por exemplo: imagine que você se prepare para um concurso ou entrevista importante para você, mas na última hora se sente inseguro (a) de participar.

Veja, você se preparou – fez de tudo – mas suas velhas crenças impediram sua sorte de se revelar. 

É claro que não se tem garantia de que determinada coisa irá acontecer. 

Porém, você precisa “ estar no jogo” para poder ter a probabilidade de ganhar. 

Mesmo que venha a fracassar ( de forma calculada! ) precisa dar mais chances para as coisas acontecerem. 

E aqui pego carona noutro autor, Dale Carnegie, que diz: 

“Tente a sua sorte! A vida é feita de oportunidades. O homem que vai mais longe é quase sempre aquele que tem coragem de arriscar”.

2- Comece a investir

via GIPHY

Por mais que você não acredite, você pode – aos poucos – se tornar um investidor de sucesso, sem comprometer seus bens, nem deixar de dormir.

Não precisa pressa em tomar decisões, mas descubra se você é uma pessoa de característica conservadora, moderada ou arrojada para começar. 

Para não se preocupar, mantenha a salvo a maior parte do seu capital. Garanta que 85 a 90% deste esteja totalmente seguro.

Um plano de previdência privada mais conservador, por exemplo. 

Bem, agora os outros 10 a 15%, serão aqueles que você destinará a investimentos em renda variável, altamente especulativos.

O autor chama esta decisão de “momento cisne negro”.

E não fique assustado com estes 10 a 15% porque você aceitará possíveis volatilidades mesmo, e como você não terá pressa aguardará um cisne negro positivo.

Neste caso a sua chance de grandes retornos podem se dar a curto, médio ou longo prazo.   

Então, você estará com um pé firme na sua realidade mediana, levando a frente a sua carreira, porém com um outro pé a espera de um cisne negro positivo.

É assim que muitas pessoas que tiveram carreiras muito previsíveis em termos financeiros, mas conseguiram se transformar em grandes investidores.

Mas pense nisso com muita calma. Consulte alguém de sua confiança para avaliar bem as suas características próprias.

3- Cresça 1% por dia

via GIPHY

E finalmente o meu vício de mentor me faz sugerir um 3º caminho, que é: aventure-se por áreas do conhecimento que você não conhece.

Em geral os seres humanos se limitam a aprender conteúdos específicos de sua área de atuação.

Em nossas profissões – no dia a dia – gostamos de manter-nos na zona de conforto restringindo o nosso pensamento ao que já sabemos, ao corriqueiro e irrelevante.

Quando nos deixamos levar por crenças ou apenas pela intuição não criamos testes para provar o contrário.

O melhor para você é fazer com que mais e mais possibilidades sejam observadas além das suas crenças que prendem você ao lugar comum.

Se nos mantivermos presos ao nosso medo, tornamo-nos mais vulneráveis por não se preparar para as variáveis do imprevisível.

Embora seja impossível de prever totalmente o futuro, lembre-se que os seus planos ou projetos são feitos para responder a várias perguntas e não para confirmar crenças.

O seu crescimento não tem espaço para acontecer dentro de sua zona de conforto. Rompa com ela!

A sabedoria e riqueza estão fora do que conhecemos e sabemos que conhecemos

As oportunidades estão um pouquinho mais além do que você conhece e sabe que conhece.  

Procure criar robustez para enfrentar o imponderável, o negativo e também explorar eventos positivos. 

Se não dá para se prever totalmente “pequenos cisnes negros”, mesmo assim, você pode se definir como um profissional de alta performance.

E se podemos garantir que performance, sabedoria e riqueza estão fora do campo das velhas crenças, você deve orientar o seu “faro” a novas aprendizagens. 

Eu já havia dito que 1% de evolução diária fará você 37,6 vezes melhor em um ano.

Isso é poderoso demais porque expande a sua consciência e conhecimento minimizando cisnes negros sobre sua vida.

 E sempre que alguém quiser por em check o seu futuro, saiba que ninguém sabe nada sobre o amanhã.

As tempestades são imprevisíveis, mas nem por isso abalam a resiliência dos planos de um navegador.

Tudo o que você pode fazer é manter a mente aberta para aproveitar o melhor das circunstâncias improváveis que a vida – com certeza – trará a você.

Você é o comandante da sua vida. Tire proveito da sua viagem diária.

Vá em frente!!

Livros sugeridos: A lógica do Cisne Negro

Como fazer amigos e influenciar pessoas

Como evitar preocupações e começar a viver

18 respostas

    1. Maravilha Dirceu. Fico contente aqui quando consigo tocar positivamente quem me segue. Sua reflexão será muito importante, sobretudo na questão dos investimentos. Vá em frente!!

  1. Excelente conteúdo produzido através de um excelente livro, parabéns pelo excelente trabalho, que agrega ainda mais conhecimento a cada vídeo ou conteúdo produzido aqui no blog. Abraço

  2. Excelente!!!
    Mas o que fazer quando você quer chegar nesse nível, isto é, quer efetivamente empreender e alguém, um filho por exemplo, não acredita em você, por causa da sua idade ou por “achar” que você é incapaz MESMO!!!

    1. Olá Maria de Fátima.

      Muitas vezes as pessoas queridas por você podem duvidar do seu sucesso por vários motivos: preocupação excessiva, medo de você falhar e se decepcionar, incertezas geradas por um histórico não muito favorável, enfim, as causas podem ser variadas.

      É importante entender os motivos daqueles que nos rodeiam.

      Então, pergunte para si mesmo: o que faz a aprovação dos que rodeiam você ser importante?

      Se você distinguir as situações em que a aprovação e a opinião alheia são realmente importantes daquelas em que apenas é a vontade deles, você já vai estar mais perto do sucesso.

      Importante também: você tem um plano? Você traçou uma meta? Você acredita? Se você errar, o que acontece?

      Você pode acabar perdendo algum dinheiro – por isso, tenha uma reserva para investimento em outro projeto.

    1. Olá Nino, ótimo que você tenha gostado do site.Sempre procuro direcionar o conteúdo para o autodesenvolvimento pessoal e profissional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O que você procura?

Sobre João Francisco

O termo Impact Player nasceu do esporte, sendo associado a jogadores que fazem a diferença apenas por estarem em campo, capazes de elevar a confiança de um grupo com sua presença. 

Ou seja, um Impact Player é aquele que faz jogadas individuais incríveis, no entanto, seu principal valor está no papel estratégico que exerce sobre o seu ambiente, no momento em que sabe que o sucesso não é alcançado repentinamente.

Posts recentes

Posts populares

Open chat
Podemos Ajudar?