5 maneiras de não deixar sua força de vontade declinar

Quantas  vezes você iniciou  novo um trabalho, um projeto ou uma jornada  bastante motivado (a), mas foi perdendo a motivação?

Se a atividade exigiu muito do seu tempo, levando vários dias para ser concluída, é muito comum que, lá pelo meio do percurso, a força de vontade comece a declinar.

As vezes, algumas coisas dão erradas e a impressão de não acabar mais acentua ainda mais o nosso desinteresse, levando embora o entusiasmo.

E é quando desistimos mesmo!

via GIPHY

Este é o chamado “declínio do ponto médio”. 

Ele acontece quando chegamos no meio de um  projeto, tarefa ou jornada, que é quando começamos a perder o interesse. 

A maioria das pessoas não percebe e nem possui uma espécie de alerta ou sequer uma chamada de atenção do tipo:

“Oops, entrei numa zona de perigo”.

Neste post, baseado no livro de Daniel Pink, quero ajudar você a superar o chamado “declínio dos pontos médios”,  que rouba a motivação das pessoas e impede a conclusão de planos e objetivos. 

Neste vou revelar as cinco mais importantes dicas para alavancar e manter sua força de vontade. 

Assim, você conseguirá superar  os momentos mais difíceis que podem estar levando você a desistir de conquistar o que é mais importante na sua vida.

Vamos lá…

1º- Estabeleça metas provisórias

Para você manter a motivação em alta, comece por dividir os seus grandes projetos em etapas menores. 

Em um estudo que examinou tentativas das pessoas em perder peso, disputar corridas e acumular de milhas para obter passagens aérea gratuitas, os pesquisadores descobriram que a motivação das pessoas era forte no começo e no fim de suas jornadas – mas que  muitas ficavam “emperradas” na etapa intermediária.

Por exemplo, na tentativa de juntar 25 mil milhas, as pessoas estavam mais dispostas a se esforçar para acumulá-las até 4 mil e depois de atingirem as 21 mil milhas. 

O pico mais baixo do desânimo era na faixa de 12 mil milhas.  Os pesquisadores perceberam que nesta fase é que acontecem os maiores índices de desistências.

Daí concluíram que para se manter a motivação em alta a solução é conseguir que a nossa mente encare a metade do caminho de uma forma diferente.

Em vez de pensar no total de 25 mil milhas que é uma jornada muito longa, estabeleça um mini objetivo na marca das 12 mil milhas e faça disso seu foco. 

No caso de uma corrida, em vez de imaginar toda a trajetória até a linha de chegada, concentre-se em chegar à marca do quilômetro seguinte.

Em seguida mais um mini-objetivo e seguir em frente. 

2º- Comprometa-se publicamente com sua meta 

Uma vez estabelecidos os seus mini-objetivos, utilize o poder do comprometimento em público.

Lá no curso de Persuasão e Influência,  preparado especialmente para você, este é o terceiro princípio, que é chamado de “Compromisso e Coerência”. 

Lá você encontra uma explicação mais detalhada e verá o quanto é poderoso este gatilho mental. 

Ou seja, tendemos muito mais a cumprir uma meta quando nos comprometemos com os outros.

Assim, uma forma de superar uma possível desistência no meio de uma jornada, é expor suas intenções aos amigos, colegas de trabalho ou familiares, deixando claro o como e quando você prevê concretizar o seu plano.  

Quer um exemplo prático?

Suponha que você esteja no meio da redação de uma tese, preparação de um currículo ou do desenvolvimento do planejamento estratégico de sua organização. 

Imagine que você resolvesse fazer o que segue:

Publicar no Whatsapp ou no Facebook, por exemplo, que você deseja terminar o que está fazendo em determinada data. 

E mais, peça a seus seguidores que o cobrem de você, quando chegar o momento. 

Com muita gente na expectativa, o compromisso de que precisa terminar irá obrigar você a fazer de tudo para evitar um possível constrangimento público.

A maioria das pessoas tem medo de tomar essa decisão e divulgá-la em seguida.

Mas é uma espécie de pressão positiva sobre você mesmo (a), que fará você conquistar o seu mini-objetivo.

É poderoso isso!

Depois vá seguindo em frente. 

3º- Interrompa a sentença na metade

Ernest Hemingway  escreveu quinze livros durante a sua vida e uma de suas técnicas de produtividade favoritas era algo muito curioso.

Ele muitas vezes encerrava uma sessão de trabalho não no fim de um trecho ou parágrafo, mas no meio da frase.

Essa sensação de trabalho incompleto acende uma lâmpada de alerta no cérebro, que o ajudava a iniciar no dia seguinte, com ímpeto maior e imediato. 

Um motivo para  a técnica de Hemingway  realmente funcionar é algo chamado efeito Zeigarnik, que é a nossa tendência de nos lembrarmos mais das tarefas por finalizar do que as concluídas. 

Para você ter mais sucesso nas suas realizações, experimente o que segue:

Quando estiver na metade de um projeto, experimente encerrar o expediente no meio de uma tarefa com um claro passo seguinte.

Isso será um combustível adicional para sua motivação em concluí-la e dar sequência ao seu trabalho. 

4º- Evite quebrar a corrente (técnica Seinfeld)

Jerry Seinfeld tem o hábito de escrever todos os dias.

Não só nos dias que se sente inspirado.

Mas haja chuva, tenha sol, escreve todos os santos dias.

Para manter o foco, ele imprime um calendário de 365 dias do ano, marcando com um grande X em vermelho,  todos os dias. 

“Após alguns dias marcados você tem uma corrente vermelha”, contou ao desenvolvedor de software Brad Isaac.  

“Basta continuar fazendo isso e a corrente ficará mais longa a cada dia.

Você vai gostar de ver essa corrente, especialmente quando a contagem já tiver algumas semanas”.

“E, minha única tarefa será não quebrar essa corrente”. 

Como Seinfeld, você irá gostar de estender – cada vez mais – a corrente e dar conta do recado. 

5º- Procure imaginar quem você ajudará com seu trabalho

Á nossa seleção de gênios da motivação do ponto médio, que inclui Hemingway e Seinfeld, vamos acrescentar Adam Grant, professor da Wharton e  autor de originais como:

Como os inconformistas mudam o mundo e Dar e Receber. 

Ele diz que: quando se depara com tarefas difíceis, renova a sua motivação se perguntando como vai beneficiar alguém com o seu trabalho.  

O dúvida do “Como posso continuar”? Se torna uma nova inspiração de “Como posso ajudar”? 

Assim, se você estiver se sentindo estagnado no meio de um projeto, imagine uma pessoa que se beneficiará com a finalização do seu trabalho. 

Dedicar o seu esforço a ajudar a essa pessoa aprofundará a sua dedicação a concluir a tarefa.

Vá em frente!

Fonte de inspiração: Quando: os segredos científicos do timing perfeito 

Arte: Vedere

10 respostas

  1. Em primeiro lugar quero deixar minha gratidão pela sua generosidade em compartilhar seus textos e vídeos, sempre com tanta qualidade.
    Quanto ao texto acima, achei as dicas um pouco contraditórias em relação ao lido em outras obras, como a em que diz para se postar o texto numa rede social e pedir para ser cobrado pelos seguidores a continuação em até data… pois tal dica vai de encontro direto a lei de manter silêncio sobre suas ações e planos… o que me levou ao pensamento que nada é estanque! Em cada caso concreto devemos analisar com clareza, quanto ao grau de seriedade, sigilo e importância, e usar a melhor estratégia para o caso específico, não o tomando como regra.
    Todo texto que nos leva a reflexão já vale sua leitura. Forte abraço e vamos em
    Frente.🙏🏻

    1. Verdade Marçal. Não se tem mesmo uma recomendação que valha para qualquer situação. Guardadas as proporções e ressalvadas as situações que exigem sigilo, o autor Daniel Pink refere-se inúmeros casos, em que você possa contar com a pressão de colegas e amigos. Imagine que você divulgue que, até uma data prevista por você, irá conseguir se comunicar num novo idioma ou concluirá a entrega definitiva de um projeto, dentre outros exemplos.
      Como somos seres gregários temos certo compromisso com aqueles grupos com quem vivemos. Assim, sem dúvida será uma pressão, mas será bem mais fácil nos comprometermos e concluirmos nossas promessas. E há muitos outros exemplos positivos. Mas, como você diz, cada caso é um caso. Obrigado pela gentileza do incentivo. Sucesso Marçal.

  2. Muita gente é muito boa em iniciativa e péssima em conclusão de um projeto, oposto da proposta apresentada, já que tema finalidade de alavancar a próxima etapa do projeto.

    1. Você tem razão, Miguel. Essa é uma pergunta fundamental em nossa vida profissional. Peter Drucker dizia que depois de termos clara essa resposta para nós mesmos, devemos conversar com os outros que nos rodeiam e dizer para eles como produzimos melhor. As pessoas começam a se habituar a contar conosco naquilo que podemos ajudá-los melhor. A recíproca é verdadeira. Podemos aprender também em que situação as pessoas produzem melhor e assim, podemos formar grupos altamente eficazes e produtivos. Vá em frente!!

  3. Olá João, tudo bem?
    Estou com esse conflito na seara da alimentação.
    Envolvido na alimentação low carb , vejo minha força de vontade diminuir em alguns casos.
    Principalmente quando há coisas deliciosas, mas que devo evitar comer.
    O livro do hábito atômico está me ajudando muito, pois tenho orientado meus familiares para dificultar a exposição desses doces e guloseimas aqui em casa… rs
    Obrigado por compartilhar.

    1. Perfeita a sua reflexão, Marcelo. Realmente, se reunimos as condições próprias ( ou seja, acionamos os gatilhos cerebrais) é muito provável que não consigamos mais dominar o ciclo, tanto para o nosso bem quanto para o nosso mal. Então, é como você diz, no caso de hábitos nocivos, dificultar para que o ciclo não se inicie é a estratégia adequada. Você conseguirá, Marcelo. Vá em frente!!

  4. Estou paralizada,e isso nunca me ocorreu,creo que deu bug meu sistema,ou meu cerebro acreditou em mi marido que en su pais,me habla ,aca vc nao vai conseguir,PERO SIM VOU CONSEGUIR,pero nao sei como ,estou deseperada ,buscando saber o que esta passando conmigo

    1. Oi Mercia, fique calma que é uma transição. Você quer mais e neste momento não está sabendo como fazer. Isso não é incomum. Acontece com as pessoas em muitas fases de suas vidas. Agora você precisa dar um tempo para pensar; conversar com pessoas boas e sinceras, que podem dar uma luz a você; ter boas leituras; algo que descanse o seu espírito. Logo em seguida os caminhos irão aparecendo para você. Mas não se desespere porque – se você der tempo para você mesma – tudo irá conspirar a seu favor. Tenha calma e não se machuque, viu? Muita paz!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O que você procura?

Sobre João Francisco

O termo Impact Player nasceu do esporte, sendo associado a jogadores que fazem a diferença apenas por estarem em campo, capazes de elevar a confiança de um grupo com sua presença. 

Ou seja, um Impact Player é aquele que faz jogadas individuais incríveis, no entanto, seu principal valor está no papel estratégico que exerce sobre o seu ambiente, no momento em que sabe que o sucesso não é alcançado repentinamente.

Posts recentes

Posts populares

Open chat
Podemos Ajudar?