Pipeline de liderança: liderar a si mesmo

A maioria de nós,  busca o aprimoramento pessoal. Ninguém gosta de estagnar na carreira a vida inteira. Logo que você inicia numa organização,  num determinado momento precisará decidir se irá seguir a carreira gerencial ou se escolherá continuar a progredir como um especialista em determinada área.

Neste post, você entenderá os requisitos fundamentais para chegar ao 2º nível da sequência do pipeline liderança  de que fala Ram Charan em seu livro de mesmo nome.

Para se tornar um líder de equipe  você deve superar a 1a. fase que é  a de liderar a si mesmo. Antes devo explicar que depois de vencida esta etapa do lider de si mesmo, haverão mais 6 níveis de evolução dentro de uma empresa, até você chegar ao nível de CEO,  que na figura é o lider Corporativo. Bem, mas isso é tema para outro post. Vamos falar agora apenas do lider de si mesmo.

Normalmente quando jovem, você passa os primeiros anos de sua carreira em uma organização como funcionário individual. Pode ser um engenheiro, contador, analista de marketing, vendedor, dentre outros. É um profissional que possui habilidades técnicas típicas de sua área de atuação.

É, portanto, um gestor de si mesmo. Aqui não vamos discutir a diferença entre gestor e líder. Isso porque entendemos que, um gestor precisa também ser um líder.

Veja, para a passagem de um nível a outro, nos 7 níveis, o que irá variar sempre serão 3 dimensões:

  • Habilidades
  • Tempo
  • Valores

Como líder de si mesmo – as habilidades valorizadas em você são essencialmente técnicas, ou seja, você executa um determinado trabalho na organização e é reconhecido por isto.

Do ponto de vista do seu tempo, você o consome  se dedicando mais a realizar o seu trabalho, entrega-lo dentro de um prazo acordado com seu gestor, participar de algumas reuniões  e se aprimorar cada vez mais como um profissional de sua área.

Na questão dos valores que é o terceiro requisito, você está submetido(a) à cultura da empresa e segue adotando os padrões típicos mais fortemente de sua área de atuação.

Na medida em que você vai refinando e ampliando essas 3 dimensões em você mesmo(a), começa a se desenhar um novo cenário: você é mais  procurado pelos colegas e é normal dar contribuições cada vez mais importantes para outras pessoas, que passam a consultar você informalmente.

O efeito positivo disso é que você começa a ser percebido como alguém “passível de ser promovido” pelo seu gestor. É quando você chega à primeira estação de passagem do 1o. para o 2o. nível.  Pronto, você já está preparado para mudar. Está iniciando portanto, a sua viagem no pipeline da liderança!

Em um post seguinte falaremos do 2º nível, que é liderar os outros.

2 respostas

  1. Muito bom, excelente contribuição para todos nós trabalhadores que em plena crise que o pais está imerso, necessitamos cada vez mais dessas dicas e condições para aprimorarmos.

    1. Jardel muito obrigado pelo gentileza do seu comentário. Em breve estarei publicando o 2º passo do Pipeline de Liderança que fala Ram Charan.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O que você procura?

Sobre João Francisco

O termo Impact Player nasceu do esporte, sendo associado a jogadores que fazem a diferença apenas por estarem em campo, capazes de elevar a confiança de um grupo com sua presença. 

Ou seja, um Impact Player é aquele que faz jogadas individuais incríveis, no entanto, seu principal valor está no papel estratégico que exerce sobre o seu ambiente, no momento em que sabe que o sucesso não é alcançado repentinamente.

Posts recentes

Posts populares

Open chat
Podemos Ajudar?